3 pontos críticos na gestão financeira do Condomínio

Data: 24/07/14

Autor: Luana Caldeira

Gestão-financeira

Pode se dizer que a gestão financeira do condomínio é a parte mais complexa de toda a gestão. Lidar com dinheiro exige muita atenção, transparência e responsabilidade. Principalmente quando se trata de dinheiro comum, como é o caso do condomínio. Cuidar para que as finanças de edifício se reverta em bons serviços para o local, é ainda mais desafiador.
Os três principais pontos da gestão financeira são: controle, comunicação e documentação:
Controle das finanças é o principal erro que os síndicos cometem ao fazer a gestão financeira do condomínio. Essa desorganização pode ser causada por diversos motivos.
Não seguir a previsão orçamentária – todo início de ano o síndico apresenta a previsão orçamentária para um determinado período, mas muitas se esquece de acompanhar esse documento mês a mês, para não haver diferenças muito grandes entre o proposto e a realidade.
Não ter controle sobre as despesas e as receitas – é preciso ser organizado e não gastar mais do que a receita permite. Em algumas situações de emergência gastos grandes podem acontecer, e nesse caso é possível usar o fundo de reservas, mas isso não pode se tornar um hábito.
Comunicação é o caminho ideal para não haver complicações entre o síndico e os condôminos.
Não deixar os documentos disponíveis – muitas vezes a gestão financeira está de acordo com o previsto, toda documentada corretamente, mas não está disponível para os condôminos. Isso faz com que gere insegurança e desconfiança dos moradores.
Estabelecer tudo em assembleia – ao convocar assembleias para qualquer situação que envolva as finanças do condomínio é fundamental para uma gestão participativa e descomplicada. Envolver os condôminos  nas decisões, faz com que a responsabilidade seja dividida. Quando o síndico começa a tomar decisões sozinho, podem acontecer problemas.
Documentação é a forma mais correta e segura de manter tudo registrado e organizado
Gestão-financeira---menorNão manter todos os gastos atualizados em uma planilha – impede a organização dos gastos e permite que erros rudes sejam cometidos.
Não haver registro – uma planilha bem organizada, com toda a receita e as despesas listadas, consegue comprovar os gastos fora da previsão orçamentaria e explicar o motivo para tal acontecimento na prestação de contas.
Equilibrar as contas do condomínio exige planejamento. Para minimizar os problemas causados pela inadimplência ou pelas despesas extraordinárias, o síndico deve adotar uma gestão financeira organizada e com uma ótima comunicação.

Discussão

10 Comentários

  1. HERCULANO

    Bom dia !
    caro, NEXTIN
    Todos os artigos e blog de vocês.
    nota 10

  2. Letícia Gloor

    Muito obrigada, Herculano! É muito bom saber que estamos ajudando! =]

  3. Andrea Gritti

    Sou gerente de condomínios há 15 anos em São Paulo e nunca tinha visto um trabalho tão importante, descrito de forma simples e clara. Parabéns pelo excelente trabalho.

  4. Angelo

    Estou para aceitar o convite de sindico do meu prédio, espero contar com o conhecimentos dos senhores.

  5. Letícia Gloor

    Olá, Angelo. Espero que os nosso conteúdos te ajudem. Depois assine nossa newsletter e fique por dentro das nossas novidades! Abraços.

  6. Letícia Gloor

    Olá, Andrea. Fico muito feliz de estar de ajudando! Continue lendo nossos conteúdos! Abraço!

  7. Gustavo José Nedel

    A matéria não deixa claro quem executa tal controle de gastos, presumindo que o síndico assim o proceda. Desejo justificar que nas experiência que tive, imobiliárias ou administradoras efetivamente tem desempenhado o trabalho de administração das contas e cotas condominiais. Na condição de síndico tenho acompanhado e planejado ações futuras que contemplem tanto as necessidades de manutenção bem como de melhorias que são cobradas pelos moradores e proprietários de uma maneira geral.

  8. wanda moro

    Quero agradecer,pelas respostas e dicas que me enviaram e obteve um sucesso total ,e ajudou á esclarecer certas dúvidas que estava tendo ,apesar que fui síndica por 8 anos á 18 anos atrás no condominio que moro,saí por motivo de doença ,de lá pra cá houve algumas mudanças,e precisava me atualizar ,Agradeço pela atençaõ recebida,tenham um otimo final de semana,obrigado

  9. Alberto de Lima Freitas

    Artigo importante p/ quem administra um condomínio, o grande problema, principalmente c/ os inadimplentes é que hoje, no Brasil, quase toda legislação tem um caráter protetor beneficiando os infratores, além é claro da morosidade da Justiça que leva anos p/ decidir uma demanda ocasionando em determinados momentos que um ou dois condôminos venham c/ seus atos furar o planejamento feito e o mais grave, permanecem a gozar de todos os benefícios dos que cumprem em dias com suas obrigações. Entendo que a regra básica p/ ad. de um condomínio é o velho “bom senso”, mas nos dias atuais medidas mais céleres deveriam ser permitidas porque as poucas que existem ficam mais na teoria e na prática quase nada acontece desestimulando aquele condômino cumpridor do seu dever junto a comunidade. Alberto Freitas.

  10. Dan Solução

    Fantástico o blog de vocês!
    Parabéns pelos excelentes conteúdos!

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.