Cuidados com o Aedes Aegypti em condomínio

Data: 15/12/15

Autor: Luana Caldeira

A luta contra a dengue deve acontecer diariamente, e toda a vizinhança precisa se envolver. Para quem vive em condomínio, isso é ainda mais importante, pois as unidades ficam mais perto uma das outras e, por isso, os mosquitos que nascem no vizinho estão mais propensos a picarem quem mora nas casas ou apartamentos em volta.
O mosquito Aedes Aegypti vive até 35 dias e, ao longo de sua vida, não percorre mais de 600 metros e em 80% dos casos as pessoas foram infectadas em casa. Sendo assim, é possível afirmar que o mosquito teve origem nas imediações, ou seja, na própria casa, na casa dos vizinhos ou no próprio condomínio.
Para evitar o mosquito, é necessária atenção especial à higiene. Por isso, para quem mora em condomínio, a palavra de ordem é limpeza. Nesse momento é importante que os moradores se envolvam com a causa, principalmente se o síndico se mostra desinteressado. É fundamental que a equipe de limpeza seja instruída de maneira específica no combate ao mosquito, priorizando ralos, vasos de plantas, piscina, áreas comuns, etc. Além disso, passar à equipe de limpeza métodos para otimizar a higienização e informações sobre qual a frequência ideal para o serviço também são de suma importância.
É possível dizer que é função de cada um impedir que o mosquito prolifere na sua unidade, mas também é preciso se manter atento no que diz respeito ao condomínio como um todo e também às unidades vizinhas. Essa atenção especial é fundamental, uma vez que números registrados durante o ano de 2015 foram muito altos e, em alguns estados, chegaram a superar os de 2014. Além disso, o momento é ainda mais delicado devido aos surtos das demais doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti: a febre Chikungunya e o vírus Zyka.
Entretanto, é preciso ficar atento para não ofender os demais membros do condomínio nessa luta contra o Aedes Aegypti: não é recomendável que um morador chame a atenção de outro ao perceber focos de água parada na unidade. Esse relato deve ser feito diretamente à administração, que deverá tomar medidas cabíveis.
Nesse momento, é fundamental que haja uma forma de conversar com o síndico com total privacidade. Nesse sentido, o livro de ocorrências passa a não ser a opção ideal, se fazendo necessária uma comunicação direta e privada. E o Nextin Home, plataforma online para gestão integrada para condomínios, tem a solução ideal: o módulo Ocorrências, onde o morador fala diretamente com a gestão sem que nenhum vizinho tenha acesso ao relato.

Discussão

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.